jusbrasil.com.br
28 de Junho de 2022

Trabalhar em pé: constrangimento ergonômico

Cássia Molina, Advogado
Publicado por Cássia Molina
há 6 anos

A Ergonomia utiliza métodos e técnicas científicas para observar o trabalho humano. A estratégia utilizada pela ergonomia para apreender a complexidade do trabalho é decompor a atividade em indicadores observáveis (postura, dinâmica dos movimentos, exploração visual, deslocamentos, mobiliário e layout).

As Lesões Osteomusculares relacionadas ao trabalho são causadas pelo uso inadequado, excessivo e contínuo de determinada articulação – músculo e tendão, por rápidos movimentos repetitivos e de força e ordinariamente atingem os membros superiores e pescoço, embora possam afetar todo o corpo do ser humano. (FERREIRA JUNIOR, 2000)

O trabalho em pé

Longos períodos na posição em pé, podem desencadear danos à saúde do trabalhador, a consequência são dores musculares que às vezes pela frequência são “esquecidas”, além de dores lombares ou lombalgias que desenvolveram graves lesões da coluna.

Sendo elas:

- Fadiga dos músculos da panturrilha; - Problemas circulatórios (dos membros inferiores) - Agravamento das lesões pré-existentes nos tecidos moles; - Dores nas pernas, edema e formigamento; - Déficit no retorno sanguíneo ao coração; - Maior solicitação da região lombar.

Posturas desfavoráveis

Os movimentos e sobre cargas que exigem curvatura e esforço da coluna lombar são prejudiciais e atingem a coluna lombar de forma a danificar as vértebras, músculos, ligamentos, nervos e órgãos. Atividades com o corpo curvado ou carregando peso de um lado podem apresentar algum tipo de desvio. As patologias que atingem a coluna vertebral são: lesões nos discos invertebrais, artrose, escoliose ou esteófitos.

Dessa forma, se você é um trabalhador que é obrigado a ficar horas em pé, sem descanso, está caracterizado um constrangimento ergonômico, ou seja, seu empregador está desrespeitando os quesitos ergonômicos, submetendo os empregados a graves enfermidades, devendo os empregados serem indenizados por isso.

Toda empresa deve observar aos quesitos Ergonômicos, como a oferta de ginástica laboral no decorrer da jornada, pausa para descaso, treinamentos e palestras elucidativas vinculadas ao tema de boas práticas laborais, para que possa aliviar seus empregados de uma condição passível de desconforto ergonômico e certamente indenizável em ações trabalhistas.

Informações relacionadas

Sérgio Merola, Advogado
Artigoshá 5 anos

Quanto tempo o trabalhador pode trabalhar de pé, sem tirar pausa para descansar?

Vendedora obrigada a trabalhar em pé durante toda a jornada consegue indenização

Carlos Jose Ferreira da Rosa, Engenheiro Mecânico
Artigoshá 5 anos

Insalubridade e periculosidade na operação de caldeiras

Ester Inacio, Estudante de Direito
Artigoshá 5 dias

A eutanásia à luz dos princípios constitucionais

Henrique Lima, Advogado
Artigoshá 6 anos

Comissões e gratificações disfarçadas de PLR

1 Comentário

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Obrigada, por compartilhar!
Mais uma alegação para minha queixa trabalhista.... continuar lendo